Elomar

Elomar foi generoso com minha literatura. Fez dois textos de apresentação para mim. Para o Aboios Celestes (contos, 1999) e para o Carmina e os Vaqueiros do Pequi (romance, 2004). Para além disso, sempre tive com ele uma relação sincera, de aprendiz, ávido por saber mais. O tempo passou, as coisas da vida foram nos apartando um do outro, mas mesmo assim, ao falar dele, digo: é o mestre maior que tenho. Outros mestres vieram e virão, para acrescentar novas referências estéticas, mas ele foi o cerne, a pedra  fundamental  do início de minha caminhada na literatura. Parabéns pelo seu dia, amigo, mestre, malungo ELOMAR FIGUEIRA MELLO.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s