Mãinha guardava enigmas

576px-La_Liviandad_del_Sueño
La Liviandad del Sueño, by Daniel Valcarce

O olhar de Mãinha guardava enigmas. Talvez não quisesse dizer nada disso; e me condenava, sim, porque, por dentro, ela sempre me sondou, sentia minha fúria, minha vontade contida, algo que nunca aplaquei com o casamento. Quem sabe ela não queria, quietinha ali, com suas costuras, que eu realizasse o que ela nunca teve coragem? Ou, quem sabe ela me olhasse assim e baixasse as vistas com tanto mistério por saber que eu voltara pra achar aquilo que foi deixado, que um dia deixei passar; e, por isso mesmo, me condenava? O sonho realiza as verdades mais sujas; a gente projeta medos e vontades, e o sonho os revela sem distingui-los um do outro.

Dênisson Padilha Filho. Feito uma tonta. In, O herói está de folga (Kalango, 2014, contos).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s