Para entreter e revisitar feridas

1495869183 (1)

Dênisson Padilha Filho lança novo livro em Salvador.

Premiado nacionalmente, o autor traz agora uma novela ágil marcada por violência, lirismo e memórias.

Um texto enxuto e ao mesmo tempo recheado de poesia. Uma narrativa veloz e fatalista que arrebata a atenção do leitor. Assim pode ser resumido Eram olhos enfeitados de Sol, sexto livro do escritor Dênisson Padilha Filho que será lançado em Salvador.

Com apresentação do escritor Luís Pimentel, o livro narra em fluxo de consciência a história de um homem que volta à sua pequena cidade natal para assumir a herança de uma madeireira em falência. A certa altura a trama assume ritmo de thriller, pois tudo se transforma para o protagonista. Nesse exercício, o narrador convoca o leitor não só à diversão com a história, mas à inquietação de visitar, cada um, suas próprias feridas. “Procurei não só contar uma história que fizesse parte de nossas existências, mas, sobretudo, que reinventasse a palavra. É muito importante para mim inaugurar novos sentidos. Literatura é isso, a onipotência da palavra”, afirma o autor.

Com quase vinte anos de carreira, transitando entre gêneros que variam do conto ao romance, Dênisson é um dos autores de sua geração que mais tem amadurecido em sua trajetória literária, iniciada em 1999. Em 2015, ele foi vencedor de um prêmio nacional de literatura promovido pela Fundação Cultural de Foz do Iguaçu-PR, que contou com inscrições de autores de doze países. No ano passado, ele também foi selecionado pelo edital Grafias Eletrônicas, projeto da Fundação Cultural do Estado da Bahia e Irdeb que difundiu o trabalho de artistas da palavra por meio do vídeo e de outras tecnologias.

Trecho de Eram olhos enfeitados de sol:

“Ali todos vivem como zumbis, tentando se salvar até o dia seguinte, mitigar uma dor atávica que já nem sentem mais. Não há nada de especial nessa minha gente, ela apenas suporta de mansinho esse banimento, como eu, como você; e o que Vega queria era me chamar pra vida. Sim, porque eu estava atolado num vilarejo nada sensual (essa porra de lugar não é a maquete do mundo?), cercado de olhos mortos e ela me surgiu, a encarnação de um sonho, me chamando pra dançar no fogo”.

Eram olhos enfeitados de Sol será lançado em julho, em Salvador.

Anúncios

13 comentários sobre “Para entreter e revisitar feridas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s