Esse império teu

Chamei minha culpa pra ir até o bar da esquina tomar um suco. Fomos. Sentamos nos bancos do balcão. Olhei prum lado, olhei pro outro e minha culpa havia sumido. Paguei os dois sucos e voltei feliz pra casa, sem culpa. Abri a porta, a tevê ligada, a culpa sentada no sofá. Zapeando de canal em canal, ela … Mais Esse império teu

Nunca serão leões

  As ruas repletas de tanques de guerra, jipes, soldados. Tomavam tudo, vigiavam as esquinas, reviravam os desejos das pessoas com rispidez, apertando-as contra o muro. Acordei assustado, suava como se tivesse acabado de correr. Liguei a tevê. Pela transmissão, vi que estavam no bairro, entraram em minha rua. Não eram tanques, nem jipes com … Mais Nunca serão leões

Por que diferente?

Domingo à noite. O pai lê dois, três e-mails que deixou passar. O filho de seis anos brinca com o smartphone, autômato, olhos vidrados. ― Pai. ― Oi, filho. ― Sonho é diferente de pesadelo? ― É sim ― agora ele se vira pro filho pra responder. ― Por que diferente? ― o guri, sem … Mais Por que diferente?

E depois disso tudo

Ex-casais se desejando feliz ano novo com sorrisos sinceros. Mulheres descoladas batendo no púbis e dizendo ‘eu quero é prova!’. Soldados amargurados dançam tango sob o som do Arrocha. A monarquia agoniza bonito nas veias da Centenário. Suas dores lombares cessam ao reler um conto de Quiroga. Dois viralatas festejam com a cadelinha malhada, mesmo … Mais E depois disso tudo

Silêncio

     Casal no sofá em casa, assistindo a um dos filmes de fronteira da coleção dele.       ― Sally Duas Árvores. ― Ela diz. ― Curioso o nome dela. Olha como ela olhou pra Ned. O olhar dela diz tudo. Garanto que ela consegue dizer tudo assim, com o olhar. Olha como ela olhou … Mais Silêncio

E se…

Marta e João alugaram um chalé na serra pra passarem a última noite antes do fim do mundo. Já era noitinha quando João abriu uma garrafa de vinho. – Vamos brindar. – A quê? – A tudo que vimos. – A tudo que vivemos. Beberam a garrafa de vinho e mais metade de outra. Tiveram a última sessão … Mais E se…

Permiso para salir

Uma águia pousou na nopalera pra saborear a cascavel recém caçada. O sol era impiedoso, como em grande parte dos dias. De um lado da estradinha vermelha e desolada vinha um cavaleiro vestido de poeira, na cintura rebrilhava a Colt .45. Do outro lado da estrada, crescendo com o galopinho, um apache chiricaua e sua mulher. Ele, imponente, … Mais Permiso para salir

Como quem sonha

     ― Pai, é verdade que meu avô era um pistoleiro frio e que matou mais de oito? ― É, filho, é verdade, infelizmente. ― E ele morreu de quê? ― Morte natural. ― Mas ontem os meninos daqui da rua ficaram rindo de mim, dizendo que meu avô nem podia sair de dia, … Mais Como quem sonha