O real e sua contraface delirante em ‘Eram olhos enfeitados de sol’, de Dênisson Padilha Filho |Resenha de Alexandra Vieira de Almeida

Alexandra Vieira de Almeida, escritora e Doutora em Literatura Comparada (UERJ), escreveu sobre a novela Eram olhos enfeitados de sol (Penalux, 2017) uma resenha que foi publicada no portal Livre Opinião. Temos nessa narrativa magistral de Dênisson Padilha Filho a mistura entre o realístico e o poético. Temos também pequenos delírios e digressões em meio ao … Mais O real e sua contraface delirante em ‘Eram olhos enfeitados de sol’, de Dênisson Padilha Filho |Resenha de Alexandra Vieira de Almeida

Táxi, de Victor Mascarenhas | Coluna CONTO AFORA, edição especial

Não, este não é o início de uma nova temporada da coluna CONTO AFORA. Este é o que chamaríamos de ‘episódio especial da série’. Desta vez, a coluna traz um conto de Victor Mascarenhas. Talvez celebrando Scorsese, em sua atmosfera, ou evocando Bradbury, na tensão bem dosada e no insólito, essa história leve e triste insinua nosso desnorteio … Mais Táxi, de Victor Mascarenhas | Coluna CONTO AFORA, edição especial

Retificando a vida | Resenha sobre “Aquela música”, novo livro de contos de Luís Pimentel.

Aquela música (Myrrha, 2016, contos). Novo livro de contos do escritor Luís Pimentel. Segue aqui uma breve resenha que espera dar conta desse sólido e muito preciso volume de histórias curtas desse autor, já, há muito, consagrado e premiado mestre do gênero. Há bastante tempo a música acompanha Pimentel em sua carreira, já que é … Mais Retificando a vida | Resenha sobre “Aquela música”, novo livro de contos de Luís Pimentel.

Estradas feitas para se perder | Por Sérgio Tavares

Este é o título da resenha de Sérgio Tavares sobre o Trilogia do asfalto (Editora P55, 2016, contos), meu livro mais recente. Para minha alegria, a resenha está na Diversos Afins, revista eletrônica de literatura: [..] Em “Trilogia do asfalto”, o baiano Dênisson Padilha Filho se arrisca na execução do mesmo procedimento, e se sai bem. Os … Mais Estradas feitas para se perder | Por Sérgio Tavares

Nunca fomos melhores, uma resenha de Fabrício Brandão.

Fabrício Brandão, editor da exitosa Diversos afins, revista de literatura e arte, escreveu uma resenha sobre O herói está de folga (Kalango​, 2014, contos), de Dênisson Padilha Filho​. Segue abaixo um trecho: Em tempos de alguma pungente desesperança, redentores são figuras cada vez mais escassas. Para desejar que tais seres existam e assumam devidamente uma função … Mais Nunca fomos melhores, uma resenha de Fabrício Brandão.

A garota de Cassidy, de David Goodis

  Literatura noir. Há um quê de oceano insondável que subjaz nessa expressão. Primeiro porque ela sofre uma espécie de preconceito. Geralmente se atribui a esse subgênero, ou se define esse subgênero como uma trama ligada a mistérios, crimes e investigações e contada de forma corrida e com pouco apuro estético. Depois, uma canonização em … Mais A garota de Cassidy, de David Goodis

As células estéticas de Arriaga

Começo esta pequena resenha com o que já disse sobre ele: o escritor Guillermo Arriaga não deve nada ao roteirista. Ao ler Retorno 201 (Gryphus, 2002), reunião de contos do escritor mexicano, percebe-se seu domínio, ou minimamente sua consciência sobre uma premissa que dever reger o artista da literatura: a experimentação. Devemos entender a facilidade com … Mais As células estéticas de Arriaga

Resenha: “Menelau e os homens” no Falando em Literatura…

O livro começa bem misterioso, enigmático a partir do título: Menelau? Quem é? E os homens, quem são? “Os homens não são bichos de confiança.” “…Estava diante daquela criatura de olhar terno e amigo, que, com certeza, não o deixaria jamais; mas ele, Davi, por um instante relativizou a amizade e questionou aquilo de ser leal. Olhou … Mais Resenha: “Menelau e os homens” no Falando em Literatura…